terça-feira, 23 de novembro de 2010

Professor em Lavras

Assumi como professor estagiário do município na segunda-feira e no sábado já estava em Lavras: o pai fez questão que eu fosse dar as boas novas para a família. Ele era só orgulho e queria tripudiar na tia Neca. O filho mais novo da tia dizia que ia ser médico; estava na oitava série e a tia já contava vantagem - o pai ficava puto:

- Aquele piá, médico? Duvido! Aquilo é um burro, vai acabar trabalhando no Hiposul! Sem ofensa, Nestor.

O Nestor era irmão do pai. Nunca trabalhou e com 60 anos conseguiu uma aposentadoria; para complementar a renda era segurança noturno no Hiposul, morava nos fundos e fazia a vigia.

Para o comemorado jantar de sábado convidamos o Tio Nestor, a Tia Neca, os filhos e o marido dela. As coisas não saíram como o esperado. O pai não imaginava que eu seguia com os meus ideias, pensou que agora, empregado, eu estava conformado. Não imaginava que acordar às 6 da manha incendiava meu comunismo. Agora eu era PT por convicção.

- Pai, é um abuso uma jornada de trabalho de 40 horas! Exploração do ser humano!

- Ricardo, tu estas te queixando do quê? Trabalhas 20 horas.

- Não é esta a questão. A burrice é começar a trabalhar 7:30 da manha! Sacrifício para quê? Para que ficar carregando cruz? Era só combinar: todos começam às 9 horas. A sociedade está mal administrada.

A tia não aguentava, a preocupação da vida dela eram os filhos:

- Meu Deus, Ricardinho. Não começa a colocar ideia na cabeça dos meus guris. O Zé já está estudando tanto para tirar medicina, fez o simulado semana passada. Vocês sabem que as professoras dele já dizem que…

Quando a tia começava com este papo o pai não aguentava:

- Neca, a questão aqui não é o vestibular do Zé, daqui há mil anos. A questão é a oportunidade do Ricardo! Que ideias são essas, meu filho? Um funcionário público!

- Pai, é uma agressão acordar com um despertador. Uma agressão!

- Deus que me perdoe, tampa os ouvidos Zézinho.

Quando a tia ficava nervosa começava a fazer sinal da cruz, o que deixava o pai indignado:

- Neca, tem mosca na mesa que tu estas te abanando? Ricardo, tu tens que aprender o valor do trabalho. Acordar cedo não tira pedaço. Trabalhar nunca matou ninguém!

- Mas convém não arriscar.

O tio Nestor não tinha falado nada a noite toda, acho que o tio não tinha falado nada a semana toda, e saiu com essa. Um gênio disfarçado.

Ninguém falou mais nada: o pai resmungou o resto da noite; a tia saiu com toda a família antes da sobremesa; eu fui para a varanda tomar cerveja com o tio, ouvir mais algumas palavras de sabedoria. Ele não disse mais nada. Contou do desempenho do time do Bagé no último Gaúchão - ouviu tudo no rádio.

4 comentários:

  1. "Convém não arriscar" é obra de gênio!
    Mas estou ansiosa para saber como foram as aulas!!

    ResponderExcluir
  2. Ana F.
    Está aí um pouco das aulas,
    Abraços, Rica

    ResponderExcluir
  3. SeuNets,
    Já está lotado, sustenta metade da família.

    ResponderExcluir